«

»

Como superar um relacionamento desastroso

Como saber a hora certa de dizer adeus? Será que desapegar é a melhor opção? O que fazer para conciliar a relação? Será que ainda tem volta? Não se preocupe. Superar um relacionamento catastrófico pode ser mais fácil do que imagina; é só conferir esse artigo.

couple-863456_1280

Quando o assunto é relacionamento hoje em dia, parecemos estar sendo exibidos como quadros de Van Gogh em museu. Com as redes sociais, possuímos todas as informações necessárias (e desnecessárias) de qualquer um, a um simples tocar de dedo. Até aí tudo certo. Mas a internet torna­se uma inimiga a partir do momento em que descobrimos até o que não queremos. E então, quando você acha que não tem como ficar pior…
Muito além de feed de notícias onde amigos compartilham o que estão sentindo, estão os sentimentos, dessa vez reais. As ações da vida cotidiana são as que de fato podem transformar a maneira de como casais se vêem. Entretanto, o que muitos não conseguem enxergar é que a relação em si depende de ambas ou todas as partes envolvidas. Se um empecilho começa a afetar a própria, geralmente o problema não está somente em um lado.

Para resolver um problema, precisamos identificar as causas. Os principais motivos de um relacionamento desastroso são a falta de conversa, atenção, confiança e até mesmo de respeito. Todos esses motivos não acontecem de uma hora pra outra: São construídos no cotidiano, mesmo que o casal não conviva junto ou não perceba. Um relacionamento à distância também é capaz de tornar-­se desastroso simplesmente pelo fato de não confiar no(a) parceiro(a) que está distante.

Às vezes, algum acontecimento (como a traição) gera uma mágoa tão profunda que acaba destruindo a fonte mais pura de sentimentos que um possui pelo outro. E então o amor, o companheirismo, a fidelidade e o respeito acabam sendo substituídos pela raiva, rancor, infidelidade, vingança. Isso torna o relacionamento desastroso, lamentável.
É claro que pode­se resgatar um relacionamento antes de tudo virar de ponta cabeça. Com respeito, afeto e consideração, podemos observar as atitudes do(a) parceiro(a) e aos poucos, corrigir hábitos que são maléficos à relação.

Precisamos nos lembrar também que a vida é feita de fases. O importante é, acima de tudo, estar bem internamente. Quando estiver seguro e em paz consigo mesmo, procure conversar. Diga o que está te incomodando e seja sincero. Converse sobre o que sente no momento, mas entenda o outro lado da situação também. Se sentir necessidade e/ou achar que tem culpa, peça sinceras desculpas.

Vamos à realidade: Nós precisamos nos relacionar. A troca de carinho, de afeto, são necessidades de todos os seres humanos. Porém, alguns relacionamentos não valem a pena a dor de cabeça. A partir do momento em que essa pessoa não acrescenta mais absolutamente nada na sua vida e parece não se incomodar com isso, qual seria o motivo para ainda a querer por perto?

Sim, é difícil desatar aquele nó que pode ter sido feito há muito tempo atrás, ou tentar apertá­lo ainda mais para não soltar novamente. Por isso, a decisão é somente e exclusivamente sua.
Dúvidas e/ou sugestões? Comente abaixo ou escreva um email para nós!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Baixe Gratuitamente

 

Sensacional Ebook: Plano de Marketing e Vendas Para Empreendedores.

Para ter acesso cadastre seu nome e seu e-mail nos campos abaixo:

 

NomeE-mail